Pular para o conteúdo

A Felicidade existe?

A felicidade é uma emoção que tem sido muito estudada pela psicologia positiva, uma ciência que tem como objetivo entender o lado saudável do indivíduo.  A Psicologia positiva, desenvolvida por Martin Seligman, vem também para nos mostrar quais são os caminhos para uma vida mais plena e mais feliz. Foca no bem-estar e nas forças e virtudes de cada um. A intenção é olhar a pessoa de forma mais completa e integral, não somente focalizando em seus aspectos negativos, mas sobretudo, olhar também para os aspectos bons e positivos.


Antes de mais nada, vamos entender de onde vem a felicidade, qual sua origem, porque algumas pessoas são aparentemente mais felizes do que outras?

De uma maneira geral, podemos dizer que a felicidade se origina de fatores genéticos, ambientais e de hábitos de vida. Sendo que para os aspectos genéticos podemos imaginar uma influência de 50%, para os fatores ambientais apenas 10% e o restante 40% para as atitudes e hábitos saudáveis de vida, como por exemplo as escolhas, a maneira como pensamos e agimos. Esses índices nos sugerem que nós podemos fazer alguma coisa, adotar novas posturas e comportamentos no sentido de construir uma sensação de bem-estar e felicidade.


E quais são esses hábitos que favorecem a felicidade das pessoas?

O principal ponto é cultivar as nossas forças pessoais, o que temos de positivo e cultivar no dia-a-dia, sobretudo as emoções positivas como satisfação, alegria, orgulho, admiração, serenidade, interesse, acolhimento, entusiasmo, otimismo, esperança, tranquilidade, ou seja, emoções que propiciam uma sensação de bem-estar.  Criar situações e oportunidades para vivenciar emoções positivas é uma boa maneira de se sentir feliz.

Nota-se que a felicidade não é algo estático ou rígido, mas sim algo que devemos construir, que depende de nossas atitudes, escolhas e comportamentos para se ser feliz. A felicidade pode, então, estar ao alcance de todos. Todas as pessoas têm a possibilidade de sentir-se feliz, no entanto, para isso, precisa adquirir novas atitudes e novos hábitos.


Para Martin Seligman,  dois outros pontos são importantes para o cultivo do bem-estar, são eles:  envolvimento e o sentido de vida.

Envolvimento ou engajamento nada mais é do que fazer algo que dá prazer, que realmente goste e por isso se torna capaz de manter-se atento à tarefa, pelo tempo que for necessário, sem perceber que o tempo está passando ou que outras coisas estão acontecendo ao seu redor.  Já o sentido de vida é um propósito, é a busca de algo que nos define, a realização dos sonhos. É o que faz você levantar da cama, ir ao trabalho e viver aquele dia. Sem um propósito de vida, vivemos sem motivação para levantar, trabalhar ou viver. O propósito é algo muito pessoal, muito particular, cada um possui seus propósitos de vida. Há uma junção entre uma habilidade, um dom com o prazer. Diversas atividades podem se encaixar nesse conceito, por exemplo: cozinhar, dar aulas, jogar futebol, ser organizado, entre outros. O que cada pessoa deve fazer é tentar encontrar qual sua atividade, qual o seu propósito. O que eu posso fazer que me deixaria muito feliz? Qual meu propósito de vida? Quando encontramos o nosso propósito há um encaixe entre o dom da habilidade e o prazer, e passamos a fluir nessa tarefa.


Para finalizar, podemos dizer que a Psicologia Positiva vem trazendo um novo foco para a Psicologia Tradicional. Esta última, procura, sobretudo, tratar e intervir nas doenças mentais, nos problemas e naquilo que falta, enquanto que a Psicologia Positiva investiga e se preocupa com o positivo, com o otimismo, com as habilidades e qualidades das pessoas, enfatizando a qualidade de vida e sensação de bem-estar.

Espero que este texto possa trazer algumas reflexões para você!!! Abraços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this